Rua Edmilson Pinheiro, 150, Autódromo, Eusébio - Ceará, 61760-000 | 85 3260-5145
prefeitura@eusebio.ce.gov.br

Notícias

Audiência discute criação do Centro de Controle de Zoonoses do Eusébio

quarta-feira | 18/04/2018

O prefeito Acilon Gonçalves participou nesta terça-feira (17) de uma audiência Pública na Câmara Municipal de Eusébio sobre a proposta de criação do Centro de Controle de Zoonoses. Na oportunidade, foi ministrada uma palestra pelo veterinário Nélio Moraes, coordenador da Vigilância Sanitária de Fortaleza. O encontro contou com a presença de alunos da rede municipal de saúde, profissionais de saúde, Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes Comunitários de Endemias (ACE). O prefeito Acilon Gonçalves destacou a importância do setor e Vigilância Sanitária para a manutenção da saúde da população.

Acilon observou que a criação de um Centro de Zoonoses só é possível através de um consórcio com outros municípios, mas entende que o setor precisa ser fortalecido devido o município estar situado em uma área endêmica. Na Câmara existem algumas propostas sobre o tema, como o requerimento apresentado pelo vereador França que trata do Centro de Controle de Zoonose e o projeto de lei 26/2018 da vereadora Wanda Morais que dispõe sobre a criação da Farmácia Veterinária Popular Central.

A vinda de Nélio Moraes, que é vice-presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária, foi uma demanda que surgiu nas oficinas de debates do Plano Diretor Participativo do Eusébio. Ele abordou as zoonoses e destacou a necessidade da vigilância constante e prevenção contra calazar, raiva e febre amarela e os cuidados que a população e profissionais de saúde devem ter com relação aos sintomas e diagnósticos.

Segundo o educador social, Gilvan Cunha, a prefeitura está realizando um trabalho direcionado com o 7º ano sobre leishmaniose, para a questão da prevenção. “Fazemos a abordagem do uso da coleira, em parceria com a Fundação Alphaville. Apresentamos a abordagem com reportagens da imprensa local, apresentando aos alunos para que se informem e possam ser multiplicadores do conteúdo do estudo em suas comunidades”, destacou.