Rua Edmilson Pinheiro, 150, Autódromo, Eusébio - Ceará, 61760-000 | 85 3260-5145
prefeitura@eusebio.ce.gov.br

Notícias

Eusébio divulga vencedores do 10º Festival de Teatro

domingo | 04/11/2018

A Prefeitura de Eusébio, através da Secretaria de Cultura e Turismo, realizou, no dia 1º de novembro, o 10º Festival da Companhia de Teatro Macunaíma (10º FECTEM). O evento, contou com a apresentação de 17 peças teatrais de alunos da rede municipal e de grupos artísticos do município. O secretário de Cultura e Turismo, Léo Abreu, destacou o bom nível técnico apresentado durante a mostra, destacando que a cada ano, os grupos buscam o aperfeiçoamento, proporcionando ao público bons espetáculos.

Na categoria infanto-juvenil do gênero comédia, os vencedores foram os seguintes: Melhor Figurino, Cenografia, Direção e Espetáculo ficou com “A Barca do Inferno”, apresentado pelos alunos da Escola João de Freitas, com direção de Marcos Olavo, que levaram todos os troféus da categoria. O melhor ator foi Gabriel Soares, de 14 anos, com personagem Raimundo Socorro da Esquete “Até aqui…?” da Escola Paulo Sá; a melhor atriz foi Gi Lemos, de 12 anos, com a personagem Guimirela da esquete “Guimirela Cinderela”, apresentado pelos alunos da Escola Neusa de Freitas Sá.

Ainda nessa modalidade, o melhor ator coadjuvante, foi Wendell Mendes, de 12 anos, com o personagem Lucifinho da esquete “A Barca do Inferno”, da Escola João de Freitas Ramos; melhor atriz coadjuvante, teve como vencedora, Maah Dias, de 13 anos, com a personagem Madrasta da Esquete “Guimirela Cinderela”, da Escola Neusa de Freitas Sá. O ator revelação foi Kaue, de 12 anos, com o personagem Padre da esquete “A Barca do Inferno”, da Escola João de Freitas Ramos e a atriz revelação foi Isabel Mendes, de 11 anos, com a personagem Augusta da esquete “A Viagem”, da Escola das Guaribas.

Na categoria adulto gênero comédia, foram os seguintes os vencedores: melhor direção e Espetáculo; O Homem que Comia Vidro, do Naec, com direção de Kelva Cristina; melhor figurino; Bagaça do Grupo Cheios de Cena, com direção de Well Rein; melhor Cenografia; #Divas do grupo Por Toda (P)Arte, com direção de Magno Nando; melhor ator, Adalberto Silva, de 32 anos, com personagem Marcolino da Esquete “O Homem que Comia Vidro”, do Naec; melhor atriz; Bella Ashley, de 18 anos, com personagem Maria da esquete “#Divas do grupo Por Toda (P) Arte”.

Já o melhor ator coadjuvante foi Well Rein de 24 anos, com personagem Rubi da esquete “Bagaça do Grupo Cheios de Cena”; melhor atriz coadjuvante, Antonilia Alves, de 37 anos, com personagem Malazarte da esquete “O Homem que Comia Vidro”, do Naec; ator Revelação: Israel Oliver, de 17 anos, com personagem Esmeralda/Prefeito da esquete Bagaça do Grupo Cheios de Cena e atriz revelação foi Adryelle de Souza, de 15 anos, com personagem Ana Júlia da esquete #Divas do grupo Por Toda (P)Arte.

Na categoria adulto gênero drama, o Melhor Espetáculo, Cenografia e Direção, ficaram com o “Velório, Velório Meu”, do Naec, com direção de Kelva Cristina; o melhor Figurino ficou com o espetáculo Asa Branca, do Naec, com direção de Kelva Cristina. O melhor ator foi Marcos Oliveira, de 36 anos, com personagem Homem da esquete “Velório, Velório Meu”, do Naec, e o prêmio de melhor ficou com Taiene Silva, de 23 anos, com personagem “Mãe, Mulher, Mulher 3” da esquete Sherman! do grupo Undefined.

O melhor ator coadjuvante no gênero drama, foi Gustavo Ponciano, de 23 anos, com personagem Cícero da esquete “Os animais que morrem” do Naec; A melhor atriz coadjuvante foi Érika Sá, de 18 anos, com personagem Laura da esquete “Um dia para dizer Adeus” do Naec. Já o ator revelação foi Magno Nando, de 18 anos, com personagem Sherman da esquete Sherman! do grupo Undefined.

O prefeito Acilon Gonçalves destaca que a mostra é uma grande festa do teatro promovida atualmente, como forma de incentivar a Cultura e a Arte no município. Neste ano o FECTEM, contou com uma participação recorde de grupos, totalizando 17, duplicando o número do ano passado, que chegou a 8. Para o prefeito Acilon Gonçalves essa participação demonstra que o trabalho realizado pela Cultura no Eusébio vem cumprindo seu papel de democratizar a arte e a cultura, como também formar o cidadão, quanto a sua percepção e visão crítica do mundo.