Rua Edmilson Pinheiro, 150, Autódromo, Eusébio - Ceará, 61760-000 | 85 3260-5145
prefeitura@eusebio.ce.gov.br

Notícias

Paixão de Cristo 2019 de Eusébio bate recorde de público

terça-feira | 23/04/2019

O Eusébio comemora mais um ano de sucesso de seu maior evento cultural e turístico, com recorde de público. A Paixão de Cristo 2019 atingiu todas as metas propostas nos dois dias de apresentações levantando o público na Arena Eusebelém e no entorno do Polo de Lazer Francisco Ivens de Sá Dias Branco. Em 22 anos apresentações, este ano, o evento teve seu maior público. Segundo os organizadores, mais de 15 mil pessoas transitaram pelo evento neste ano. O fluxo maior foi no segundo dia, quando a Arena e o Polo de Lazer ficaram lotados, não só de eusebienses, mas de visitantes de cidades vizinhas, como Fortaleza, Aquiraz, Itaitinga e Pindoretama.

Na Eusebelém o público vibrou a cada cena. O espetáculo contou com efeitos pirotécnicos e deu um maior brilho nas cenas de maior tensão. A sincronia perfeita de luz e música ampliou a qualidade do espetáculo. A Bing Band formada por músicos da Banda Municipal, coral e quarteto de vozes deu o diferencial ao espetáculo que contou com o corpo de baile fazendo a marcação de cenas, como a Matança dos Inocentes e a Tentação de Cristo.

A apresentação é iniciada em um momento de dúvida do apóstolo, logo após a prisão e crucificação de Jesus. Se eles deveriam sair e pregar a boa nova diante da perseguição promovida aos seguidores do mestre, sendo questionados por Maria, sobre a fé e o que teriam aprendido com o Mestre.

A História a partir daí é contada em flashbacks, seguem as cenas da Anunciação; Maria visita Isabel; Nascimento; Visita dos Reis Magos a Herodes e depois ao Menino Jesus; Morte dos inocentes; Ida ao Egito; Batismo de Jesus por João Batista e a Tentação no Deserto. A cena levanta o público quando Jesus responde a cada provocação demônio e no final vence a batalha.

Segue a cena do Palácio de Herodes, quando Salomé pede a cabeça de João batista após dançar para o Rei. Jesus traz a parábola do Filho Pródigo, e o ensinamento do saber perdoar os irmãos. Seguem cenas dos milagres da mulher endemoniada, do filho de centurião e de um deficiente físico; a cena do Lava pés; Última Ceia, onde Jesus dá o sinal para Judas entregá-lo aos seus algozes. No Monte das Oliveiras, Jesus pede ao pai se possível afastar dele aquele cálice. Judas chega ao Sinédrio e por 30 moedas de prata combina de entregar Jesus com um beijo.

Após a luta com os apóstolos e prisão, Jesus é levado ao Sinédrio onde é feito um julgamento sem a presença do conselho que é contestado por José de Arimatéia e Nicodemos. Os doutores da lei levam Jesus a Pilatos que o envia ao Rei Herodes por ser ele um dos seus súditos. Herodes também não vê culpa no acusado e o devolve que o entrega para a flagelação.

Jesus é entregue aos irmãos Marcos e Julius que mantém um diálogo ante o açoite sádico que iniciam até que o chefe da guarda de Herodes os detém. Na presença de Pilatos e a pressão dos sacerdotes e povo que está à frente do palácio, Pilatos lava as mãos e entrega Jesus para ser crucificado e solta o criminoso Barrabás. A via crucis é marcada pela música “Via dolorosa” acompanhada pelo cortejo de parte do elenco, onde destaca-se a figura de Judas.

Após o ato consumado, Judas vai ao Sinédrio e acusa os sacerdotes de assassinos e é acusado de ter entregue seu mestre por dinheiro. Judas sai transtornado do Palácio e é perseguido pelos demônios até o local onde tira a própria vida devido a um profundo remorso.

Na cena seguinte, os doutores da lei resolvem voltar a Pilatos e pedir para que coloque guardas para impedir que o corpo de Jesus seja tirado por seus seguidores do sepulcro. Pilatos concede, mas os guardas fogem ao verem a pedra mover-se sozinha e Jesus sair do Sepulcro. Maria Madalena então chega ao local e fica atordoada com a cena que vê, mas ela vê um anjo e um homem e pergunta sobre seu mestre. Jesus se releva mas pede que não o toque, mas avise aos demais.

Então a encenação volta a primeira cena, quando os apóstolos estão indecisos sobre os rumos que darão as suas vidas e não acreditam em Maria Madalena que afirma que o mestre ressuscitou, até que Jesus aparece entre entres e os batiza com o fogo do espirito santo. O espetáculo é finalizado com a Ascensão de Jesus aos céus! O prefeito Acilon destaca que a Paixão de Cristo de Eusébio é hoje um patrimônio imaterial da cidade e por sua qualidade tem atraído a cada ano mais e mais pessoas que ouvem falar que no Eusébio se realiza uma das maiores e melhores paixões de cristo do país. “Quero parabenizar a todos os envolvidos, desde a Secretaria de Cultura e Turismo, diretor, elenco, pessoal da técnica e produção, cada secretaria envolvida que tornou tudo isso possível e ao público, que a cada ano se encanta mais com esse evento, que nos traz lembranças dolorosas, mas que no final nos redime da dor, pois nos mostra que Jesus venceu a morte, para nos dar a vida plenamente”, disse o prefeito.